Cármem Lúcia, voto Minerva – Voto Magistral!

General Mourão

Cármem Lúcia, voto Minerva – Voto Magistral!

Com a maestria de uma estadista, a ministra Cármem Lúcia, presidente do STF, conduziu a votação sobre medidas cautelares aplicáveis aos congressistas, seu voto minerva, magistral, registre-se, firmou-se como uma armadilha para a quadrilha que lota o congresso nacional. Ao deixar ao escrutínio das duas casas legislativas, a prerrogativa de promover a impunidade, a sábia Cármem Lúcia abre caminho para a Intervenção Militar. Atenta a arrogância e indisciplina dos parlamentares corruptos, Cármem Lúcia acredita que a quadrilha não resistirá à tentação de promover a impunidade de seus pares…

Atenta ao compromisso constitucional das Forças Armadas, a presidente do STF, em seu voto levou em conta as palavras do general Mourão – “companheiros do Alto Comando do Exército” entendem que uma “intervenção militar” poderá ser adotada se o Judiciário “não solucionar o problema político”, em referência à corrupção de políticos.

… “Até chegar o momento em que ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso.”

Para evitar a pecha de “judicialização da política”, sabiamente a presidente do STF, transfere o ônus da impunidade dos congressistas, aos membros corruptos do próprio congresso nacional.

Espero que a quadrilha livre a cara do senador Aécio e de outros da mesma laia, pois assim o compromisso das Forças Armadas será cumprido.

A fala do general Mourão, não são palavras jogadas ao vento, tal qual promessas de maus políticos.

 O Que a ministra Cármem Lúcia fez, foi jogar pérolas aos porcos, esperemos que eles se chafurdem, então teremos a redentora INTERVENÇÃO MILITAR…

Cármem Lúcia, obrigado!

 

Gen Figueiredo

Anúncios

Pense nisto! Ministra Cármem Lúcia…

Exposição MAM

FFAA: Não permita que o Brasil se torne Sodoma e Gomorra

Os políticos em geral, e os congressistas especificamente, transformaram o Brasil em um Estado Mafioso. A corrupção institucionalizada, grassa todos os poderes e instâncias. O povo menos esclarecido se encanta com o “canto da sereia”. Não existe mecanismo constitucional para varrer os aproveitadores da coisa pública…

Em nome da arte, com exposições esdrúxulas, uma classe degenerada, intenta destruir a Família, célula mater da sociedade. Fundados na CF/88/RFB, onde a liberdade de expressão está presente; só que os degenerados defensores de apresentações indignas, não entendem que tudo tem limite, senão avançaremos que tudo é permitido, logo tornar-nos-emos, Sodoma e Gomorra. Esta a meta dos seguidores de Gramsci…

O caos que já está instalado tem anteparo de membros do judiciário, juristas, intelectuais, artistas, meios de comunicação, etc. todos esquerdopatas.

Isto não vai acabar bem. As FFAA só vão agir quando  houver tumulto de monta, quando vidas forem ceifadas e não houver outro recurso que não seja a Força. Mas não precisa ser assim, chegar ao extremo. Uma solução menos traumática será a convocação das Forças Armadas, pela Presidente do STF, Ministra Cármem Lúcia. Com certeza muitas vidas serão poupadas, principalmente a dos inocentes. Os culpados que paguem pela afronta…

Pense nisto! Ministra Cármem Lúcia…



INTERVENÇÃO MILITAR – RECADO DO MINISTRO CHINÊS

General Mourão

Aos olhos do ministro chinês uma nação corrompida só consegue êxito se aplicar as medidas por ele sugeridas…

 

INTERVENÇÃO MILITAR JÁ!

 

O primeiro-ministro chinês Wen Jiabao fez essas recomendações aos países emergentes:

“Pena de morte por crimes comprovados: nenhuma sociedade honesta e trabalhadora merece viver com tanto medo. A eliminação de criminosos perigosos assusta o resto dos criminosos. A segurança pública crescerá e seus gastos cairão drasticamente. No futuro, isso se refletirá na cultura e no comportamento das pessoas.

Castigo severo para os políticos corrompidos: vocês não os punem, principalmente os que estão no mandato, que dizimam os cofres públicos.
Na China: pena de morte e devolução do dinheiro.

Investimento quintuplicado na educação: um país que quer crescer deve produzir os melhores profissionais do mundo.

Redução drástica da carga fiscal e reforma fiscal imediata: o governo não deve perseguir indústrias e empresas. Os seus encargos fiscais são exagerados, confiscatórios, injustos e desordenados.

Reduza 80% de salários e gastos de políticos: você tem a política mais cara do mundo. O político deve entender que é um funcionário público obrigado a dar seu trabalho e conhecimento em benefício de seu país e não um “rei”.

Investir mudando a cultura do povo: as pessoas já não acreditam no governo ou na sua política; não respeitam as instituições, não acreditam em suas leis ou em sua própria cultura. O povo se acostumou à desordem do governo e passou a ver a corrupção, a violência e a deterioração dos serviços públicos como normal.

Redução de maioridade para 16 anos (o mundo está envelhecendo …): seus países geralmente tratam adolescentes de 15 a 18 anos como crianças que não são responsáveis por suas ações e proíbem o trabalho. Erro fatal, quando é necessária mão de obra renovada. Essa contradição hipócrita da lei serve apenas para criar criminosos perigosos que, quando completarem 18 anos, estarão formados para o crime.

Um povo complacente que só assiste como os corruptos roubam dinheiro, subornando os de colarinho branco, está chamando o atraso. “*

Gen Figueiredo

NOTE BEM!

 

Não podemos permitir que este maravilhoso país onde vivemos continue a desmoronar por causa de uma classe política corrupta e leis que não servem para nada.

Nossa classe política corrupta continua nos roubando e nada acontece. Isso nos atinge e nada acontece. Ela pisotea-nos e nada acontece. Nos tira os PARCOS salários que ganhamos honestamente e nada acontece e, no entanto, continuamos como cordeiros para o abate – e nada acontece …

Muitas pessoas estão dizendo que é hora de reagir… Vamos fazer algo, é hora de irmos para as ruas pressionar as Forças Armadas, única instituição capaz de executar o saneamento. O resto é conduta!

Intervenção militar já!

 

Veja – SOS FFAA, precisamos de vocês novamente…

 SOS FFAA

           O BOM, O MAL E O FEIO

No curso de uma palestra proferida em um templo Maçônico, em Brasília, o General de Brigada Antônio Hamilton Mourão, Secretário de Finanças do Exército, externando seu entendimento pessoal como cidadão, disse com outras palavras que se o Poder Judiciário não pusesse fim à corrupção, à roubalheira e ao desmando dos quais decorrem a falência da grande maioria das instituições no Brasil, eles – os militares –  terão que “impor isso” (sic).

 

Não há nada de errado em falar assim. Por acaso, por ser um cidadão como outro qualquer não pode o General pensar desta forma? Não pode desejar que se faça justiça, antes que seja tarde demais?

É isso que o povo quer. É este o grande anseio que se encontra na mente e no coração de todo cidadão do bem. Esta é a vontade popular. Lanço um repto: perguntem ao povo dos quatro cantos do país, mediante consulta livre e isenta, sem a interferência das odiosas corporações do serviço público, dos abomináveis marqueteiros ou dos vendidos institutos de pesquisa, em quem ele confia: se nos militares ou se não desprezível classe governante, aí incluindo os poderosos do executivo, do legislativo e do judiciário.

O bom, probo e corajoso patriota Gen. Antônio Mourão, garantido por cláusula pétrea da Constituição Federal (art. 5º, IV), manifestou seu pensamento e o fez amparado no exercício do poder direto do povo (parágrafo único do art. 1º da C.F.) e de conformidade com a missão constitucional das Forças Armadas de que trata o art. 142 da Carta Política de 1988. Não se pune o pensamento no direito brasileiro porque é livre – absolutamente livre – o direito de expressão, ainda que de natureza subjetiva.

Consta que um xyzwhijp desses do Parlamento apresentou à mesa do Senado Federal um requerimento pedindo que o General Mourão fosse preso e saísse algemado para uma prisão qualquer em face de seu pronunciamento. Avaliem a situação: um General de Brigada do Exército Brasileiro saindo preso e algemado por ter defendido sua Pátria e esses políticos imundos soltos e correndo por aí com as burras cheias de dinheiro roubado dos cofres públicos. Um dia temos mesmo que acertar contas com essa corja da esquerda delinquente.

O militar não falou nada contra o Brasil. Sua indignação como homem e cidadão com o atual estado de coisa se explica ante o desespero e a indigência em que nossa sociedade foi atirada, e seus anseios se justificam ao se doer por conta dos gritos aflitos dos desvalidos. Convenhamos, não cabe qualquer reparo ao seu procedimento neste episódio.

Tendo o General Mourão reverberado o que diz a voz das ruas não se viu na rede mundial de computadores, quando postado pelo homem comum, uma só crítica, uma só menção desabonadora contra a fala do militar, ao pregar o fim da canalhada política, através de meios ortodoxos ou excepcionais, ambos previstos na Lei.

Isso ficou tão evidente que um colunista de peso e sensato, de um dos maiores jornais do País, registrou o apoio que o Gen. Mourão recebeu e vem recebendo nas redes sociais depois que “defendeu uma intervenção militar” (sic). A título de provocação penso eu, o ilustre jornalista ainda advertiu a esquerda deslumbrada: “O povo está com tanta raiva dos políticos que, se o general Mourão for para reserva, presidir o Clube Militar e continuar sua pregação, pode se tornar candidato na base de uma plataforma de lei e ordem, tomando espaço de Bolsonaro”. De minha parte aplaudo, com entusiasmo, a fala de qualquer bom brasileiro.

Ora, se restou público e notório que o entendimento do General expressa a vontade soberana do povo, quem de plano deveria apoiá-la são os representantes do povo. Porém, é muita ingenuidade ou mera tolice pensar que qualquer político o fizesse.

Muito pelo contrário, tremendo de medo e com o pavor da “hora da cobrança” – que um dia virá – levantaram-se no Parlamento dois senadores, autênticos membros dos dois grupos em que hoje se divide a abjeta classe política: os covardes e os canalhas. Ambos não são do bem.

O primeiro, parecendo uma preá assustado e com trejeitos de pederasta – uma espécie de Jean Wyllys chegado do agreste com um pingo de votos – chamou o General Mourão de “maluco”, pedindo que fosse severamente punido pelo Comandante do Exército. Lamento dizer, mas o jovem senador não tem autoridade moral para suplicar punição para o General. A ele não pode se comparar em termos de cultura, conhecimento e de exemplo cívico. Sua pouca experiência lembra-me de que, em meses passados, muito se pavoneou na tentativa de defender um projeto para pôr fim à excrecência do “foro privilegiado” e foi derrotado. Ficou com cara de tacho. Não serviu à Pátria por tanto tempo quanto o general integrante do Alto Comando e sua origem na esquerda sindicalista, diante da realidade atual, não o recomenda. Como um dia disse o grande Carlos Lacerda ao jejuno Deputado Heráclio Rego, aí nos idos de 1955: “Vossa Excelência cresça e apareça”.

O segundo, um conhecido militante da escória do PT, réu numa ação crime por corrupção decorrente da Operação Lava Jato – o mesmo falastrão idiota que torturou a geografia e assassinou a história dizendo que “o neoliberalismo nasceu na China quando a ditadura comunista era chefiada por Pinochet”, e para cujo gabinete um colega no Senado pediu, em plenário, que a Polícia Federal, fizesse uma busca por cocaína – veio falando em “quebra de hierarquia” relativamente à fala do general Mourão. O que sabe este cantante de hierarquia nas Forças Armadas e quanto aos princípios que regem esse seu código de honra? Melhor fosse que este “analfa” do PT se quedasse silente quanto à fala de um homem de valor, e primeiro explicasse à sociedade sua participação nos crimes dos quais é acusado. São essas as vozes do mal.

O triste, entretanto, nem são esses políticos desprezíveis, mas outros falsos e hipócritas da esquerda fundamentalista que, se valendo das suas posições na grande imprensa, ali estão para, torpe e dissimuladamente, tramar no sentido de que se mantenha o atual estado da debacle social.

Sem revelar nomes porque combato ideias e não pessoas, falo de dois esquerdinhas covardes que, em suas colunas na grande mídia escrita, vieram atacando o General Mourão. Pobres almas atormentadas e ressentidas pelo mal que pretenderam para o Brasil no passado e que os militares impediram, um deles repete como um monótono realejo as críticas contra intervenção de 64 que diz ter sido “nefasta, dolorosa e estúpida” (sic), ao sabor da conveniência atual dos patrões, donos do seu jornal, como é de seu antigo costume.

O outro – marxista conhecido que vivia com nome e documentos falsos – que nem autêntico consegue ser, destila seu veneno valendo-se do pensamento do finório FHC, também delatado na Lava Jato junto com sua trupe, quando proclama como uma expressiva evolução social o fato de no presente o povo saber os nomes dos Ministros da Suprema Corte ao passo que, antigamente, era imperioso que de cor soubesse o nome dos generais do Alto Comando do Exército. Percebam. Costumeiramente é assim que, de soslaio, o jornalista tenta se vingar dos militares, porque não deu certa sua pretensão de “cubanizar” o Brasil, para qual muito lutou e depois de derrotado, fugiu com o rabo entre as pernas.

É uma verdade distorcida o que diz o pretensioso ex-presidente, mas não se aplica ao povão certamente. Somente a parte mais esclarecida da sociedade hoje sabe, por causa do milagre da comunicação viral, o nome dos Mandarins do Supremo, nos quais juntamente com o resto do povo não confiam nem um pouco. Os nomes dos militares lhes são desconhecidos, mas é unicamente neles e nas Forças Armadas que confiam e esperam para se livrar da corja que arrasou a Nação Brasileira. É justamente a essa gente desclassificada que os tais articulistas habitualmente emprestam apoio e proteção. São vendidos seus escritos, sórdidas e horrendas suas posições.

Jose Mauricio de Barcellos, ex Consultor Jurídico da CPRM-MME, é advogado. email: bppconsultores@uol.com.br.

 


Embrião da Nova Constituição para o Brasil é papo Real

O Poder Emana do Povo

Subsidiariedade – Palavra de ordem…

Príncipe organiza nova Constituição para o Brasil

   Luiz Philippe de Orleans de Bragança palestrando

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão  serrao@alertatotal.net

O movimento Avança Brasil vai apresentar, brevemente, para debate, uma proposta de nova Constituição para o Brasil. A Carta Magna está quase finalizado por uma equipe de livres pensadores e juristas, sob coordenação do cientista político Luiz Philippe de Orleans e Bragança – um dos herdeiros da Família Imperial brasileira tirada do poder pelo golpe de 15 de novembro de 1889. O anúncio foi feito ontem pelo Príncipe, durante a 22ª Edição da Jornada Maçônica do Estado de São Paulo, para um público de 300 maçons, no auditório da Unisantana. O evento teve a coordenação geral do professor José Renato dos Santos.

A base da nova Constituição é republicana e federalista. Ela prevê mecanismos de controle da sociedade sobre a máquina estatal e seus poderes. A intenção estratégica é propor uma Carta que institua pilares para um Estado garantidor da Liberdade exercida pelos cidadãos. O texto irá privilegiar o princípio da subsidiariedade – palavra difícil de pronunciar, mas que significa facilitar a solução de problemas e conflitos pela via do debate civil, e não pela custosa e demorada e judicialização.

Outro foco é fortalecer o poder local, nos municípios, comunidades ou distritos. O voto distrital entra na ordem do dia, com voto eletrônico, porém com conferência impressa do resultado. A nova Carta promoverá um choque de descentralização de poder. O plano é adotar princípios do “Ordo liberalismo” – segundo o qual a função do Estado é garantir a livre iniciativa, impedindo a concentração do poder estatal, no molde “socialista”, “comunista” ou “capitalista de Estado”.

Os fundamentos para a nova Constituição estão expostos no livro “Por que o Brasil é um País atrasado?” – que Luiz Philippe lança no próximo dia 5 de outubro, a partir das 19 horas, na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, em São Paulo. Editado pela “Novo Conceito”, com apenas 255 páginas, o livro explica, de forma didática e fácil de entender, soluções possíveis para problemas brasileiros. Luiz Phiippe ressalta: “A melhor arma contra o despotismo de governos e de interesses globalistas é a sociedade comandada por valores explícitos e coesos em pleno exercício de sua soberania e de seu modo de viver em seu território”.

O Príncipe Luiz Phillipe defende que precisamos criar mecanismos de Democracia Direta de controle da sociedade sobre o Estado. Segundo ele, refletindo a visão do movimento Avança Brasil, a sociedade tem de agir localmente contra a excessiva interferência ilegítima do Estado que tem o monopólio da gestão da coisa pública, marginalizando a sociedade que vive super regulada. Por isso, Luiz Philippe prega: “Não precisamos de salvador da Pátria em pleno século 21. A nova Coisa Pública tem de ser gerenciada entre o corpo do Estado e a sociedade atuante”.

Descendente de Dom Pedro I, II e Princesa Isabel, Luiz Philippe de Orleans e Bragança aposta tudo na Nova Constituição que o Avança Brasil oferecerá ao amplo debate: “O Brasil é uma idéia viva que deve ser defendida e protegida. O Brasil desenvolvido, confiante e soberano não pertence a governo algum e já está rompendo, por contra própria, com a velha política e os dogmas do século 20 que o amarraram na subserviência. Esse Brasil aguarda nossa resolução para entrarmos de vez para o século 21”.

O esboço constitucional do Avança Brasil acolherá contribuições de grupos de estudos não só no mundo acadêmico tradicional, mas sobretudo de pesquisadores e livres pensadores nas Forças Armadas e no Judiciário.  Também conta com material já elaborado por Thomas Korontai, para o Instituto Federalista, no livro “Uma nova Constituição para uma nova Federação”, de 215 páginas, publicado em 2011. O mesmo acontece com conceitos elaborados por Antônio José Ribas Paiva, da União Nacionalista Democrática, na publicação “O Fio da Meada” – estudada nos meios militares. A juventude do MBL vem com tudo para debater a “Carta do Príncipe” (apesar do estranho acordo com o João Dória)… E quem mais estiver disposto a colaborar será bem vindo ao desafio de reinventar o Brasil…

Certamente, o debate político e econômico fugirá da viciada pobreza de idéias depois que o movimento Avança Brasil viralizar a Constituição concebida pela equipe coordenada por Luiz Philippe de Orleans e Bragança. Teremos a chance de promover a inédita “Intervenção Institucional” pela via democrática, com toda a legitimidade dada pela pressão direta popular. Os golpistas do Crime Institucionalizado terão bons motivos para mudar do Brasil para o quinto dos infernos…

Consertar o Brasil é fundamental para o equilíbrio de um mundo que caminha para guerras extremistas. Por isso, não temos mais tempo a perder… A Nova Constituição nos ajudará a formar um Núcleo Monolítico de Poder que permitirá à sociedade manter a integridade institucional usurpada pelo Crime.

A PRIVATIZAÇÃO “FAKE” DA ELETROBRÁS

 

A PRIVATIZAÇÃO “FAKE” DA ELETROBRÁS

 

Após o período de 08 anos que vai de 1º de janeiro de 1995 a igual dia e mês de 2003, correspondente ao Governo FHC, onde as privatizações de empresas paraestatais foram a mola mestra da corrupção, infelizmente as privatizações desonestas voltam agora. E voltam com toda a fúria.   Tudo festejado pelos intermediários que ganharão muito com essas operações, e até com pleno apoio da mesma população idiotizada que tem sido responsável pela escolha desse lixo político que comanda o Brasil desde a “Nova República” de 1985, chegando a níveis extremos  na “Era”  PT/BMDB ,que começou em 2003,iniciando com Lula da Silva e durando  até hoje, com Temer.

É difícil compreender que apesar de toda a roubalheira havida  com as privatizações mais “antigas”, ninguém tenha sido condenado por esses ilícitos. Tem gente desse “núcleo” que roubou tanto que hoje é  dono  de imóvel avaliado em  vários  milhões de euros na zona mais nobre de Paris.

Como o Brasil possui uma classe política equiparada às mais “espertas” e “ladravazes” do mundo, essa “tchiurma” se notabilizou em ALTERNAR as formas de corrupção no tempo, de modo a usufruir ao máximo, e até a “última gota”, das vantagens próprias a cada período. No Governo FHC, do PSDB, por exemplo, foi predominantemente com as privatizações. Na ”Era” PT/PMDB, com os “mensalões”, os ”petrolões”, os escândalos da JBS, BNDES, e tantos outros.

Praticamente fechadas as portas da corrupção nas modalidades descobertas pela Polícia Federal, na “Era” PT/PMDB, onde a “Operação Lava Jato” tem especial  destaque , é evidente que os delinquentes com assento no  Poder Político teriam que fazer um enorme esforço para criar novas  fontes de corrupção para não serem “apanhados”. Foi exatamente aí que resolveram retornar à política das privatizações, aproveitando o “know-how” do PSDB, adquirido no passado recente, evidentemente contando com a sua participação e apoio na reintrodução desse projeto, dessa nova fonte de corrupção. Mas seria necessária uma intensa campanha com muita mídia comprada para obter aprovação da população. E assim foi feito. Tiveram pleno êxito. Os idiotas estão aí aplaudindo, nem se preocupando em saber as verdadeiras razões que estão por trás dessa medida. Apesar de um discurso diferente, enganador, ”fake”, o objetivo é um só: MAIS CORRUPÇÃO.

Mas o PT também não quis ficar para trás dos “outros”. Ele também privatizou, e muito, contrariando o seu antigo discurso. É evidente que aí também houve muita “maracutaia”. Mas inexplicavelmente nenhuma autoridade se dispôs a investigá-las.

Conveniente seria recordar que a ideia inicial do Poder Público investir em setores da economia que seriam necessários ao desenvolvimento, mas que não interessavam à iniciativa privada, por um motivo ou outro, principalmente devido à baixa rentabilidade, realmente merece todos os louvores.

Os idealizadores da “reforma administrativa”, objeto do Decreto-lei Nº 200, de 1967, conseguiram dar uma estrutura às empresas integrantes da Administração Indireta do Estado, algumas de direito privado (empresas públicas, fundações públicas e sociedades de economia mista), que deveriam funcionar exatamente nos moldes das demais empresas da iniciativa privada. Mas devido à nefasta interferência dos Chefes de Poder Executivo (Presidente da República, Governadores e Prefeitos), o maior contingente de empresas vinculadas ao Estado jamais conseguiu o desempenho desejável para o qual fora programado. Essa realidade se deve ao fato da nomeação dos dirigentes e conselheiros não se dar como deveria ser, ou seja, pela competência profissional, como se procede na iniciativa privada, e sim como mera acomodação política e mesmo paga por apoios políticos em campanhas eleitorais. Com essa medida  encheram a direção e o quadro funcional  dessas  empresas com nepotismo, empreguismo, incapacitados e ladrões. Jamais essas empresas poderiam dar certo, tanto quanto deveriam.  Então criaram as condições para privatizá-las com pleno apoio e aplausos da opinião pública, que mais erra que acerta.

Hoje mesmo estamos lendo nos jornais que o GRUPO GERDAU resolveu afastar do seu  comando executivo todos os membros da própria  família “Gerdau” , substituindo-os por competentes executivos selecionados  no mercado. Ora, se uma família dessa estirpe, que conseguiu erguer um dos maiores conglomerados empresariais do Brasil, sentiu-se com deficiências para prosseguir no comando do grupo, o que não dizer desses “borra-botas” que para serem eleitos para qualquer coisa basta ter um título de eleitor, mas que paradoxalmente têm ilimitados poderes para preencher os cargos diretivos das empresas do Estado, algumas delas com o porte de uma Petrobrás, Eletrobrás, com patrimônios superiores ao Grupo Gerdau?  ?  De quem é a culpa da caótica situação das empresas do Estado, cujo desgaste até justificaria as suas privatizações, apesar de muita gente “amiga” do Governo estar na “fila” para faturar alto?

Resta acrescentar que muita “grana” de origem ilícita deve ser aplicada nas privatizações que se avizinham. E certamente muitos desses investimentos vão configurar uma segunda legalização dos ativos desonestos que estavam “lá fora” e que foram alvo daquela tal de “repatriação” do dinheiro roubado, mas onde tudo foi perdoado em troca do pagamento de imposto. Com essa política os ladrões estarão sendo premiados e passarão a ser donos do patrimônio que antes era do povo, e que acabarão comprando muito barato em virtude da subavaliação que serviu de base  para a venda, como na época de FHC já foi.

Sérgio Alves de Oliveira-Advogado e Sociólogo

2018 – quem nóis vai elegê: Lula corrupto ou Lula mentiroso?

minas-gerais4789

JÁ QUE PERGUNTAR NÃO OFENDE..

By Alberto Saraiva

Todo dia, a toda hora, eu leio e vejo que Lula é líder de todas as pesquisas, que é o maior presidente que o país já teve, que vai voltar nos braços do povo e quetais.

Eu gostaria de saber se esse Lula é o mesmo que:

– Tem a maior rejeição entre os possíveis candidatos, variando entre 50 e 60%?
– Convoca “entrevistas coletivas” onde não responde a uma só pergunta, por não ter o que responder sobre suas maracutaias milionárias?

– Só discursa para plateias amestradas ou mortadelizadas?

– Não pode ir a um restaurante para não ser “ovacionado”?

– Não pode voar em avião de carreira nem transitar em aeroportos por medo de vaias?

– Se é o mesmo cara que fez uma vaquinha (também chamada de crowdfunding) para pagar os advogados, tinha expectativa de arrecadar 1 milhão e mal arrumou 150 mil?

– Que teve um abaixo-assinado de apoio, onde esperava um milhão de assinaturas e mal conseguiu 50 mil?

– Que apoiou Haddad em São Paulo e tomou uma surra de Doria no 1o. Turno?

– Que na eleição passada seu partido só elegeu um prefeito de capital, a portentosa Rio Branco?

– Partido este que foi varrido das prefeituras Basil afora e que hoje tem menos prefeitos que o DEM?

– Que não conseguiu reeleger um filho vereador em S. Bernardo do Campo, onde tem domicílio  eleitoral?

– Que viu o PT perder TODAS as prefeituras do ABC paulista, que  foi o seu berço político?

– Que o partido onde é o “grande líder” (embora não mais inconteste) já teve três tesoureiros, dois presidentes e um secretário geral condenados e presos e pode perder o registro?

– E que este mesmo partido é aquele que foi despejado dos ministérios e cargos do governo federal, onde arrecadava propinas e votos?

– É o mesmo cara que sempre foi apoiado pelos sindicatos pelegos, e que agora perderam o imposto sindical obrigatório e não vão ter como pagar no ano que vem pelas “manifestações” em seu apoio?

– Sindicatos esses que promoveram e custearam uma greve geral que se resumiu a quebra-quebras e ruas interditadas por pneus incendiados?

– É também o mesmo cara idolatrado pelos artistas “engajados”, que não conseguiram juntar 2.500 pessoas num showmício no Rio, com Caetano Veloso e outros?

– Com que ‘prestidigitador” esse cara vai fazer campanha, se João Santana e Duda estão fora de questão?

– Com que partidos ele vai contar na sua coligação, já que o maior deles (PMDB) aplicou um “Golpe” (!) no governo petista? E outros, médios, não o querem nem pintado, já que foi condenado e está com o filme queimado?

– Que tempo ele vai ter na TV, só com o PT e com os nanicos da Esquerda – se é que estes o acompanharão?

E, pra concluir:  com que dinheiro “por fora” o camelô de empreiteiras irá comprar partidos para engordar seu tempo na TV, se a Odebrecht, JBS, OAS, UTC e outras que faziam isso foram desmontadas por corrupção ativa?

Tudo bem, eu sei que o Lula, além de sociopata, é também esquizofrênico e tem duas personalidades: a de “Todo poderoso senhor dos votos” e a de “vítima da Elite Branca da Casa Grande”.

Então eu pergunto aos esquerdalhas, farsantes da mídia golpista e inocentes úteis em geral:

DE QUAL LULA VOCÊS ESTÃO FALANDO?

ONDE ESTÃO ESSES VOTOS QUE VOCÊS ESTÃO CONTANDO E RECONTANDO?

E ESSE ENERGÚMENO, HOJE  MILIONÁRIO, É VITIMA DE QUÊ, OU DE QUEM, MESMO?

Alberto Saraiva, convidando para que vocês dêem um pulinho na sua página Alberto Saraiva – Textos

(Compartilhamento autorizado, desde que na integra)

         XXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Existem dois Lulas: o Lula corrupto e o Lula mentiroso. Por qual deles as pesquisas ajuntou tão volumoso apoio popular… Se se efetivar a inverossímel vitória, seja do Lula corrupto, ou do Lula mentiroso, o único caminho para reverter este erro, será através um banho de sangue. Banho de sangue que não virá: o comandante do exército continuará afirmando que as instituições estão funcionando…

NB: A pejorativa afirmação: “as instituições estão funcionando…” é endosso para oficializar a bandeira com foice e martelo e substituir nosso Hino nacional, pelo hino INTERNAIONAL COMUNISTA.

PATRIOTAS!

Concito-vos a declarar ferrenha e diuturna guerra contra esta idiossincrasia… DEMOCRACIA OU MORTE!

À  cúpula!

Hão de convir: Ontem foi infinitamente  melhor…

Olhem -se no espelho e …

Acesse!

 Ontem orgulho! Hoje vergonha, humilhação…

“A carreira militar não é uma atividade inespecífica e descartável, um simples emprego, uma ocupação, mas um ofício absorvente e exclusivista, que nos condiciona e autolimita até o fim. Ela não nos exige as horas de trabalho da lei, mas todas as horas da vida, nos impondo também nossos destinos. A farda não é uma veste, que se despe com facilidade e até com indiferença, mas outra pele, que adere à própria alma, irreversivelmente para sempre. (Gen Octávio Costa)

Onça pintada